trevas-e1475678818836.jpg

A Teologia das trevas

Teologia no brasil vai de mal a piorLi um livro anos atrás que a cada dia que passa, vejo o cumprimento das palavras nele contidas. O livro é conhecido pelo título de o Fim de uma era. A mais de 20 anos venho observando a decadência teológica que se instala no pais em que vivemos. Isso acontece sorrateiramente por pessoas infiltradas na Igreja do Senhor como diz Judas em sua carta no versículo 4: Porque se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus, e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo (Judas 1.4). Basta olharmos para os pregadores e púlpitos da nação que hoje se emancipa pelas redes sociais, e igrejas do País,  que veremos o vazio teológico em torno das mensagens e estilos de adoração a Deus. Quando digo vazio de mensagens me refiro ao conteúdo bíblico ausente nessas mensagens.

Escrevo isso preocupado com a teologia bíblica e confessional ausente da vida da igreja atual. Teólogos e lideres totalmente desviados da verdade, não é difícil de se ver, porém existe uma certa dificuldade de se combater essa teologia, por que verdadeiro teólogos estão se calando diante da mentira que toma conta das mentes cristãs da atualidade. O mundo evangélico trocou Deus pelo ego, a pregação se tornou psicológica e ecumênica. A verdade foi trocada pela tolerância ao pecado e cada vez mais se cria, e/ou nascem igrejas e mensagens humanistas para conduzir essa massa de mentes e vidas estupradas pela mensagem de pregadores humanistas, mundanos, desviados da verdade, como diz Judas, homens ímpios.

Uma teologia que troca a esperança de salvação e a vinda do Senhor por vidas milionárias nessa terra, e que torna a volta de Jesus em uma teoria desclassificada por muitos, não pode ser considerada teologia, mais sim um caminho para o desvio e apostasia da igreja do Senhor. Uma teologia que cultiva, e alimenta o pecado, não pode construir uma base sólida para seus estudantes, nem para seus seguidores. Uma teologia que une Deus a deuses que na verdade não são deuses e sim criaturas de um Deus todo poderoso, não pode salvar nem mesmo seus idealizadores.

O que vemos hoje são teologias envolvendo a vontade humana como corpo de sua base doutrinária. Temos presenciado o secularismo, pluralismo, ecumenismo, humanismo, prosperidade, egocentrismo como escopo teológico, para satisfazer essa geração de crentes desviados da verdade central das Escrituras. Temos presenciado pastores que estão nos púlpitos dizer em alto e bom som que nem em sua salvação eles acreditam. Outros que igualam Deus ao ser humano, Jesus a um ser criado por deus, e com certeza me faltaria linha para dizer os desvios dessas mentes. Porém, o que é central a nossa fé é o que expomos aqui. Então o que se resume, é que verdadeiramente a teologia da Igreja Brasileira vai de mal a pior. Os teólogos dessa geração estão mais preocupados em trazer para as mãos dos crentes uma arma de fogo do que a bíblia. Mais recorrentes estão a ciência para defesa de a terra ser redonda ou plana, do que a dobrar os joelhos e pedir a iluminação de um texto bíblico para que possa ensinar suas ovelhas e ouvintes.

A teologia Brasileira está mais preocupada em colocar lideres cristãos na política para mudança da nação, em vez de coloca-los no clamor a Deus para que seu Espirito conduza a verdade aos corações destes, para uma mudança real no interior dos homens e mulheres de nossa Nação. Quando a visão de quem é Deus muda, a teologia sobre ele também começa a ser distanciada de Sua Palavra. O amor ao pecado e a ideia de que encher igrejas é o importante $$$$, já não é de hoje. O medo de fazer e viver na igreja de maneira sóbria e genuinamente pregar a verdade, tem levado muitos pastores a tolerância do pecado. Inclusive enquanto escrevo tenho em mente muitos amigos que abandonaram a pratica aa verdade absoluta da Palavra de Deus, por que onde chegaram, já não conseguem mais acreditar, nem ensinar sobre o Céu e inferno. Sobre a perdição do homem. Uma das pessoas que frequenta uma igreja séria ficou alarmada de ver um pastor fazendo velório de seu próprio pai, dizendo que naquele momento ele estava no céu com Jesus, e que a salvação dele estava assegurada. Essa pessoa me procurou e disse: Pastor, meu pai era idolatra, ele morreu na idolatria, era praticamente um beato junto as imagens de escultura e sem confissão de fé em um Único e Suficiente Salvador, que é nosso JESUS.

A dor da mentira falada ali, por um líder cristão parece me, que pesou mais diante daquele momento por saber que não só seu ente querido, mais, muitas outras pessoas morreriam indo para o inferno, diante de uma teologia que dizia a eles estar indo para junto de Cristo. Quando a mentira ultrapassa o valor da verdade, temos e criamos teologias que vão de mal a pior. Durante todo tempo em que a igreja percorre seu caminho de luta incessante pela verdade, acredito que esse seja um dos períodos mais difíceis que precisamos superar. O momento chamado pelo apóstolo Paulo de tempo da apostasia. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;(2 Timóteo 4:3).

Poderia usar o termo aqui de doutores da mentira, incumbidos pelo interno, e pela doutrina de demônios para levar pessoas para distante da salvação em detrimento de seus próprios interesses, maculam a verdade e valorizam a mentira. O que nos torna ainda mais motivados a escrever esse texto é saber que alguns foram homens de Deus. Pregavam a verdade a qualquer preço e hoje se corromperam pela valorização de suas vidas pessoais, e grande parte hoje visa manter o pecado em troca de financiamento de seus prazeres $$$.

Em nome do AMOR, se tornam mestres de pessoas que estão deleitando em seus pecados e amansados estão por seus pastores em suas sujidades morais. A teologia de Judas nos ensina como fazer: E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento; E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne. (Judas 1:22-23). Se tem algo que não terei medo de fazer, e o de afastar o rebanho de Cristo desses lobos, e de suas abominações. Combater o bom combate da fé será a nossa maior consciência diante dessa apostasia generalizada que a igreja vive nos dias de nossa existência na terra. E digo mais, a cada dia essa nuvem de fumaça do inferno toma conta das mentes e corações mundanos. Cultos a homens, a templos, sociedade depravada inclusive os que se dizem crentes é o que está sendo gerado por essa teologia sem Cristo e sem Sua Palavra. A incredulidade até dos que ensinam teologia, mostra a sujeira que essa máquina teológica produz na Igreja de Cristo. Maculando as vestes da noiva do cordeiro, segue sendo venerada pelos seus adeptos.

Minha crônica nessa madrugada segue sendo o maior desafio da Igreja do Senhor. O desafio de vencer esses impostores desviados da verdade. Rejeitar seus falsos ensinos, e até suas práticas modernizadas para entreter bodes. Lutero já dizia em seu tempo: A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço. Algumas posições, e até comportamento de quem era amigo ministerial temos que nos afastar, e se possível abandonar. Quando a Palavra de Deus está em jogo e a verdade de Cristo sendo está questionada como algo muito pesado para o ser humano, é melhor orar sobre isso, e se possível fuja desse ataque das trevas, ou empunhe espada e ponha em fuga quem os trouxer.

Igreja do Deus vivo, chegou o tempo de rejeitáramos essa corja de desviados. É tempo de agarrarmos a verdade das Escrituras, ainda que sejamos chamados de ultrapassados, de igreja fria, até de fundamentalistas, pois é nas mesmas escrituras que encontramos apoio para vencer: Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que, pelo engano dos homens abomináveis, sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza; antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém (2 Pedro 3:17-18).

Andemos e tenhamos um firme combate contra a heresias desse século mal, e como uma vez ouvi de um pastor: ...com o tal nem ainda comais (1 Coríntios 5:11).

Não tenha receio de afastar desses lobos, falsos mestres, e de quem traz a falsa doutrina. Deus é conosco, isso é o que importa. Não vivamos pelo que as pessoas dizem ou pensam. Vivamos prosseguindo para o alvo, salvando almas do inferno e protegendo a mente dos que estão caminhando rumo a pátria celestial. Usando de uma teologia pura e simples, cresçamos naquEle que é o cabeça da igreja. Cristo Jesus o nosso Salvador e único Senhor.

Isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais (1 Coríntios 5:10-11).

Deus os abençoe.

Pr. Adélcio Ferreira – IBPMG