top of page

O Reino Milenar de Jesus Cristo

 

Os profetas revelam o local exato em que o Messias, o Rei ungido de Deus, retornará: “E, naquele dia, estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente” (Zacarias 14:4). Começando com Jerusalém, Sua capital, Ele irá expandir seu reino para o mundo (versículo 9).

Uma vez que o Reino de Deus seja estabelecido em Jerusalém entre o povo de Israel, Cristo vai pedir aos representantes de todas as nações para virem a Jerusalém para que possam aprender sobre as Suas leis. Ele vai convocá-los a Jerusalém para participar da Festa anual de Deus, a Festa dos Tabernáculos: “Todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém subirão de ano em ano para adorar o Rei, o senhor dos Exércitos, e para celebrar a Festa dos Tabernáculos” (versículo 16, ARA; ver Levítico 23:33-44).

Nem todas as nações irão cooperar imediatamente. Lembre-se, Satanás reuniu essas mesmas nações para lutar com Cristo, ao Seu retorno. Elas não vão aceitá-Lo rapidamente, mesmo depois de Satanás estar preso. Por isso, Cristo “exercerá o seu juízo sobre as nações e repreenderá a muitos povos” (Isaías 2:4). No início do reinado de Cristo, fortes medidas ainda serão necessárias para convencer a maioria das nações que Sua intenção é fazer cumprir as leis de Deus.

Como Cristo fará para deixar isso claro, especialmente para as nações que obstinadamente se recusam a participar da Festa dos Tabernáculos? A maneira de comunicar Sua mensagem a eles será direta. Ele simplesmente demonstrará o Seu controle sobre as forças naturais da Terra. “E acontecerá que, se alguma das famílias da terra não subir a Jerusalém, para adorar o Rei, o senhor dos Exércitos, não virá sobre ela a chuva” (Zacarias 14:17).

As nações aprenderão rapidamente que sua existência depende da bênção de Deus. O clima bom e colheita abundante são bênçãos de Deus. A partir deste momento em diante somente as nações que obedecerem a Deus terão Suas bênçãos, e todas as outras não. Tal sistema servirá como um argumento convincente. Com o tempo, todas as nações irão responder.

Agora vamos examinar alguns detalhes do reinado de Cristo.

Recompensa para os santos

Jesus Cristo prometeu recompensar as pessoas que ao longo dos tempos têm servido-O fielmente (Apocalipse 11:18; 22:12). Observe as suas partes no Seu Reino: “Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos” (Apocalipse 20:6). Este período futuro é muitas vezes chamado simplesmente de Milênio (uma extensão de mil anos).

No início do reinado milenar de Cristo os servos fiéis de Deus, inclusive muitos que sofreram severa perseguição e martírio, servirão como professores e administradores nesse maravilhoso mundo porvir. Eles vão ajudar Jesus a ensinar os caminhos da paz e da justiça às nações. Assim se cumprirá a promessa de Cristo para Sua Igreja: “Ao que vencer, lhe concederei que se assente comigo no meu trono, assim como eu venci e me assentei com meu Pai no seu trono” (Apocalipse 3:21).

 

O profeta Daniel predisse a mesma coisa: “E o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão e lhe obedecerão” (Daniel 7:27).

Cristo não tem planos de mudar o mundo sozinho. Na Sua vinda, Seus servos fiéis serão imediatamente transformados de carne e osso em seres espirituais imortais e O ajudarão. Paulo explicou:

“E, agora, digo isto, irmãos: que carne e sangue não podem herdar o Reino de Deus, nem a corrupção herda a incorrupção. Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é mortal se revista da imortalidade” (1 Coríntios 15:50-53).

 

Estes seres transformados se sentarão com Jesus Cristo no Seu trono. Eles servirão como professores e administradores durante Seu reinado milenar. 

 

A restauração completa de Israel

Há muito tempo Deus também prometeu: “Está chegando o tempo em que farei com que de Davi venha um descendente [o Messias], que seja um rei justo. Esse rei governará com sabedoria e fará o que é certo e honesto no país inteiro. Quando isso acontecer, o povo de Judá ficará seguro, e o povo de Israel viverá em paz” (Jeremias 23:5-6, BLH).

A restauração de todas as tribos de Israel como uma nação sob o reinado do Messias é predita repetidamente nos escritos dos profetas.

Por intermédio de Ezequiel, Deus diz: “Eis que eu tomarei os filhos de Israel de entre as nações para onde eles foram, e os congregarei de todas as partes, e os levarei à sua terra. E deles farei uma nação na terra, nos montes de Israel, e um rei será rei de todos eles; e nunca mais serão duas nações; nunca mais para o futuro se dividirão em dois reinos” (Ezequiel 37:21-22).

E através de Jeremias: “Por isso, agora, assim diz o senhor, o Deus de Israel, acerca desta cidade [Jerusalém], da qual vós dizeis: Já está dada nas mãos do rei da Babilônia, pela espada, e pela fome, e pela pestilência. Eis que eu os congregarei de todas as terras, para onde os houver lançado na minha ira, e no meu furor, e na minha grande indignação; e os tornarei a trazer a este lugar e farei que habitem nele seguramente. E eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus. E lhes darei um mesmo coração, e um mesmo caminho, para que me temam todos os dias” (Jeremias 32:36-39).

Visto que Cristo constituirá Jerusalém como Sua capital, o primeiro povo a experimentar os efeitos de seu governo será o reino restaurado de Israel. Como seu Rei, imediatamente Ele vai estabelecer uma estreita relação de trabalho com eles: “E farei com eles um concerto de paz; e será um concerto perpétuo; e os estabelecerei, e os multiplicarei, e porei o meu santuário no meio deles para sempre. E o meu tabernáculo estará com eles, e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. E as nações saberão que eu sou o Senhor que santifico a Israel, quando estiver o meu santuário no meio deles, para sempre” (Ezequiel 37:26-28).

O povo de Israel terá um papel essencial em ajudar outras nações a implementar os caminhos de Deus. Uma vez que Deus tenha perdoado seus pecados, Jesus Cristo vai começar a utilizar a humilde e arrependida Israel para difundir o conhecimento da lei de Deus para outras nações. O mundo inteiro gradualmente se submeterá administrativamente sob um código de lei unificado, a lei de Deus. Jesus coordenará tudo isso, reinando sobre as nações, desde Jerusalém. Finalmente, o mundo vai aprender a obedecer a lei de Deus.

Israel ajudará as nações a aprender os caminhos de Deus

Acerca da nação restaurada de Israel durante o reinado milenar de Cristo, Deus diz: “Eis que . . . e os sararei, e lhes manifestarei abundância de paz e de verdade. E removerei o cativeiro de Judá e o cativeiro de Israel e os edificarei como no princípio; e os purificarei de toda a sua maldade com que pecaram contra mim e perdoarei todas as suas iniqüidades . . . E esta cidade [Jerusalém] me servirá de nome de alegria, de louvor e de glória, entre todas as nações da terra que ouvirem todo o bem que eu lhe faço; e espantar-se-ão e perturbar-se-ão por causa de todo o bem e por causa de toda a paz que eu lhe dou” (Jeremias 33:6-9).

Conforme o povo de Israel aprenda a seguir os caminhos de Deus, o exemplo deles inspirará outras nações a buscar o mesmo modo de vida e a querer colher as mesmas bênçãos: “Assim, virão muitos povos e poderosas nações buscar, em Jerusalém, o senhor dos Exércitos e suplicar a bênção do senhor. Assim diz o senhor dos Exércitos: Naquele dia, sucederá que pegarão dez homens, de todas as línguas das nações, pegarão, sim, na orla da veste de um judeu, dizendo: Iremos convosco, porque temos ouvido que Deus está convosco” (Zacarias 8:22-23).

As nações verão que cumprir a lei de Deus vale a pena. E virão a Jerusalém para aprender como podem aplicá-la em suas próprias terras: “E irão muitas nações e dirão: Vinde, e subamos ao monte do Senhor e à Casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e nós andemos pelas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e a palavra do Senhor, de Jerusalém” (Miquéias 4:2). E, finalmente, “a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar” (Isaías 11:9).

O conhecimento correto

Com Jesus Cristo como Rei, Jerusalém será o centro de aprendizagem para o mundo. A Palavra de Deus, a Bíblia, providenciará uma base sólida para o desenvolvimento da educação e do conhecimento: “Assim será a palavra que sair da minha boca . . . fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a enviei. Porque, com alegria, saireis e, em paz, sereis guiados; os montes e os outeiros exclamarão de prazer perante a vossa face, e todas as árvores do campo baterão palmas. Em lugar do espinheiro, crescerá a faia, e, em lugar da sarça, crescerá a murta; isso será para o Senhor por nome, por sinal eterno, que nunca se apagará” (Isaías 55:11 -13).

A prosperidade aumentará, enquanto que o crime e a corrupção acabará: “Por cobre trarei ouro, e por ferro trarei prata, e, por madeira, bronze, e, por pedras, ferro; e farei pacíficos os teus inspetores e justos, os teus exatores. Nunca mais se ouvirá de violência na tua terra, de desolação ou destruição, nos teus termos” (Isaías 60:17-18).

Entretanto, é preciso muito mais do que o mero conhecimento para produzir paz e cooperação duradoura. A mudança espiritual também é necessária. E essa a mudança espiritual do povo de Israel irá inspirar outras nações a admirar seu estilo de vida e vão querer imitá-lo:

“Dize, portanto, à casa de Israel . . . pelo meu santo nome . . . E vos tomarei dentre as nações, e vos congregarei de todos os países, e vos trarei para a vossa terra. Então, espalharei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei. E vos darei um coração novo e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o coração de pedra da vossa carne e vos darei um coração de carne. E porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis” (Ezequiel 36:22-27).

A restauração espiritual da humanidade é a transformação mais importante que irá ocorrer durante este período milenar, quando o mundo será mudado. senhor: Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo” (Jeremias 31:33, ARA; Hebreus 8:10).

De uma maneira fenomenal, o Espírito de Deus transformará as pessoas. A obediência será generalizada, as pessoas manifestarão atitude de liderança honrosa e desfrutarão de uma sociedade estável: “E te restituirei os teus juízes, como eram dantes, e os teus conselheiros, como antigamente; e, então, te chamarão cidade de justiça, cidade fiel” (Isaías 1:26).

As mudanças serão permanentes e continuarão ao longo das gerações subsequentes: “E todos os do teu povo serão justos, para sempre herdarão a terra . . . para que eu seja glorificado. O menor virá a ser mil, e o mínimo, um povo grandíssimo. Eu, o senhor, a seu tempo o farei prontamente” (Isaías 60:21-22).

Cada nova geração vai continuar essa tradição de justiça: “E todos os teus filhos serão discípulos do senhor; e a paz de teus filhos será abundante” (Isaías 54:13). As pessoas em todo o mundo vão notar e respeitarão o seu exemplo: “E a sua posteridade será conhecida entre as nações, e os seus descendentes, no meio dos povos; todos quantos os virem os conhecerão como semente bendita do senhor” (Isaías 61:9).

A espiritualidade se espalha

Conforme as pessoas de outras nações vejam o que acontece em Jerusalém e seus arredores, elas também vão querer servir ao Deus vivo: “E aos filhos dos estrangeiros que se chegarem ao senhor, para o servirem e para amarem o nome do senhor, sendo deste modo servos seus, todos os que guardarem o sábado, não o profanando, e os que abraçarem o meu concerto, também os levarei ao meu santo monte e os festejarei na minha Casa de Oração . . . porque a minha casa será chamada Casa de Oração para todos os povos” (Isaías 56:6-7).

Finalmente, cairão as barreiras entre Israel e as outras nações. Isto ocorrerá porque todos acabarão percebendo que “não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus” (Gálatas 3:28).

Bênçãos materiais

Quando as pessoas em todo o mundo começarem a obedecer a Deus, colocando suas prioridades espirituais em primeiro lugar, elas começarão a experimentar uma prosperidade material sem precedentes:

“Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que o que lavra alcançará ao que sega, e o que pisa as uvas, ao que lança a semente; e os montes destilarão mosto . . . e reedificarão as cidades assoladas, e nelas habitarão, e plantarão vinhas, e beberão o seu vinho, e farão pomares, e lhes comerão o fruto” (Amós 9:13-14).

Isaías compara esse tempo com uma festa perpétua onde há o melhor de tudo: “Neste monte o senhor dos Exércitos preparará um farto banquete para todos os povos, um banquete de vinho envelhecido, com carnes suculentas e o melhor vinho” (Isaías 25:6, NVI).

Observe esta descrição inspiradora de futuras bênçãos: “Eles edificarão casas e nelas habitarão; plantarão vinhas e comerão o seu fruto. Não edificarão para que outros habitem; não plantarão para que outros comam; porque a longevidade do meu povo será como a da árvore, e os meus eleitos desfrutarão de todo as obras das suas próprias mãos. Não trabalharão debalde, nem terão filhos para a calamidade, porque são a posteridade bendita do senhor, e os seus filhos estarão com eles”.

“E será que, antes que clamem, eu responderei; estando eles ainda falando, eu os ouvirei. O lobo e o cordeiro pastarão juntos, e o leão comerá palha como o boi . . . Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o Senhor” (Isaías 65:21-25, ARA).

Esta visão do reino milenar de Cristo não é uma ilusão, mas, uma promessa real. Jesus Cristo voltará à Terra para transformar espiritualmente seu povo e estabelecer uma utopia, um paraíso na terra. A combinação da remoção da influência de Satanás, da oferta do Espírito de Deus a humanidade e o ensinamento ao mundo das leis e dos caminhos de Deus resultará em mil anos de paz e uma sociedade abençoada muito além dos seus sonhos. Entretanto, por incrível que pareça, a profecia revela que um período ainda mais surpreendente aguarda a humanidade.

bottom of page