Estudos Bíblicos

6-EVANGELISMO

O EVANGELISTA

O OBREIRO É SERVO E EMBAIXADOR

Nós somos servos e sacerdotes, embaixadores pessoais do Reino de Deus... mas estes títulos de honra têm a ver especialmente com nossa relação com Deus... não com os homens.

Em Apocalipse 3:20, e IICoríntios 4:5, nosso Senhor é apresentado fora da porta do coração de cada pessoa incrédula, batendo e solicitando entrada. O próprio homem tem que resolver se abra a porta e Lhe dá entrada, ou não. O Senhor Jesus não força a porta, nem nada pede mediante violência. Simplesmente explica qual é a consequência da recusa ou aceitação - mais nada. Somos nós que levamos as informações acerca de Jesus Cristo para a alma perdida. Em IICo.4:5, está escrito que não pregamos a nós mesmos, mas a Jesus Cristo como Senhor.

Que espécie de testemunho damos à cerca de Jesus?

Louvamos a ele devidamente? Ou estamos descrevendo-O, amenas, como fez o servo, na parábola de Mateus 25:24? André disse a Pedro estas simples palavras: "Achamos o Messias", que foram suficientes para levá-lo a Cristo. Felipe fez semelhante com Natanael, dando apenas um pouco mais de explicações acerca de Jesus e convidou-o a vir ver por si mesmo, e ele o fez - Jo.1:45-46.

Mas no Velho Testamento temos um exemplo de como alguém pode dar um mal testemunho a respeito do Senhor!

O Rei Ezequias não testemunhou a respeito dos prodígios de Deus, quando os mensageiros de Babilônia foram a Jerusalém com o propósito de saber como era possível que uma Nação tão pequena tivesse obtido êxito sobre o grande exército dos Assírios.

Por seu orgulho, Ezequias eclipsou o amor de Deus ao invés de dar a Glória que Lhe era devida, ele limitou-se a mostrar a casa do seu tesouro. A prata, o ouro, as especiarias... por orgulho pessoal.

Ezequias glorificou-se a si mesmo em vez de render suas homenagens ao seu Senhor... por isso Ezequias foi severamente castigado. (IICr.32:31; IIReis. 20: 12-19).

DEVEMOS DESEJAR A SALVAÇÃO DE TODO SER HUMANO

Este amor, que é de Deus em nós, compele-nos a pensar em todas as pessoas que encontramos. Em como está a sua relação com Jesus Cristo. Isso até mesmo antes de considerarmos se esta ou aquela pessoa é digna de nossa amizade, se vai ser útil e proveitoso conhecê-lo, nada disto. Basta que seja um ser humano, feito à imagem divina, para que desejemos levá-lo a Cristo.

A CHAMADA DE DEUS

É fácil perder o ânimos e achar que já fizemos a nossa parte e cumprimos a nossa obrigação. Pra quê continuar aguentando os insultos dos incrédulos? Porém o Espírito Santo está sempre a mostrar os frutos do nosso trabalho e nos fazendo pensar em nossa obrigação de cumprir o dever de evangelizar.

A AUTORIZAÇÃO QUE TEMOS PARA EVANGELIZAR

Os apóstolos levaram muito a sério a sua comissão e testificaram apesar de toda a oposição (At. 2-4). Pedro disse a seus juízes como justificação para ter continuado sua pregação, contra as ordens deles: "Julgai se é justo diante de Deus ouvir-vos antes a vós outros do que a Deus; pois nós não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos."

Assim, todo o Crente em Cristo. Está, pela presente , autorizado a testificar de mim e a dar a todos as boas notícias de minha salvação, segundo instruções dadas em minha Palavra.

Atos 1:8 Jesus Cristo

Mateus 28:18-20 Autoridade suprema

Marcos 16:15-16 no céu e na terra

RESPONSABILIDADES EM RELAÇÃO A DEUS

Na evangelização somos sócios de Deus em sua obra de salvar os perdidos. Ele dirige todo o plano e escolhe pessoas diferentes para diferentes responsabilidades dentro desse plano. Por isso olhamos para ele buscando sua direção e aceitando o trabalho que nos atribui.

Jesus nos dá as indicações gerais para podermos servi-lo no que ele nos confiar. Vejamos seis indicações fundamentais que deduzimos de seus mandamentos. Em parte se destinam a Igreja em geral, e em parte apontam as responsabilidades individuais de cada cristão. Leia agora as seguintes referências em sua Bíblia. Peça ao Senhor que lhe mostre qual a sua responsabilidade em cada mandado, seja como indivíduo, seja em cooperação com a igreja. Fale com ele a esse respeito e aceite as indicações que ele lhe der.

1. João 15:4-5; Mateus 5:13-16. Permaneça em Cristo e permita que ele faça de você um ramo frutífero. Seja sal e luz para o mundo.

2. Mateus 9:35-38; Lucas 10:1-2; João 4:35. Reconheça a necessidade e peça obreiros em sua oração.

3. Atos 1:8; Lucas 24:47-49. Receba o poder do Espírito Santo e seja testemunha de Cristo. Comece em seu lar. Estenda-se a todo o mundo.

4. Marcos 16:15-18. Vá a todas as partes e pregue o evangelho a todos, crendo que Deus atuará poderosamente para mostrar ao povo que sua Palavra é verdadeira.

5. Mateus 28:19-20. Vá na companhia de Cristo e ensine às nações, batizando os crentes ensinando-lhes a obedecer e seguir a Cristo.

6. João 20:21-22. Receba o Espírito Santo, vá onde Jesus enviá-lo e prossiga a sua obra.

Comprometer-se com Deus é muito mais do que aceitar a missão que ele nos dá. É entregar-lhe nosso tempo, nossos talentos, colocar nossa vida sob seu controle. Ele, por sua vez, nos proporciona o poder de que necessitamos para executar suas ordens. Deus deseja encher-nos de seu Espírito e operara por nosso intermédio. Desta maneira nos convertemos em sua voz, suas mãos, seus pés, para levá-lo a todos quanto se acham perdidos. Recebemos sua mensagem para todas as ocasiões e sua ajuda para cada necessidade, quando, mediante o estudo da sua Palavra nos comunicamos com ele em oração.

Estamos comprometidos com a totalidade da igreja de Jesus Cristo nesta grande obra de evangelização. Jesus veio a terra para buscar e salvar os perdidos, e voltou ao céu para dali dirigir as atividades da igreja - seu Corpo - na continuação desta mesma obra.

A evangelização é ao mesmo tempo uma obra conjunta e uma responsabilidade individual. A mão não pode fazer nada por si só. Precisa da cooperação dos músculos e nervos do braço. Efetivamente, deve cooperar com a totalidade do corpo. Somos membros do corpo de Cristo. Ele deseja operar por nosso intermédio na evangelização, mas deve ser em cooperação com os demais membros do seu Corpo. Nossa capacidade de trabalhar em harmonia e cooperação com os outros cristãos determinará, de certo modo, a quantidade e a qualidade da obra que Deus poderá levar a cabo por nosso meio na evangelização.

Cada membro do corpo de Cristo, cada cristão, tem sua parte a desempenhar na evangelização. Somente na medida que cada membro desempenhar seu papel, cooperando com os demais sob a direção de Cristo - a cabeça divina - poderá a igreja cumprir sua missão. A Grande Comissão exige participação total para que haja evangelização total.

Por certo, alguns cristãos se acham totalmente isolados dos outros por causa do lugar onde vivem ou pelas circunstâncias existentes em seu lar. Não obstante, podem cooperar orando a favor de todos e fazendo o que podem por Cristo onde se encontram.

RESPONSABILIDADES EM RELAÇÃO AOS PERDIDOS.

A evangelização leva-nos a relacionar-nos com pessoas que não conhecem a Deus. Ele nos deu o pão da vida para que o repartamos com os que tem fome. Temos em nossas mãos o anúncio de perdão para os que se acham nos cárceres do pecado. Devemos orientar os perdidos mostrando-lhes o mapa que Deus nos dá na Bíblia. E conduzi-los a Jesus, que é o Caminho, a Verdade, e a Vida.

Esta é a hora da evangelização. Nunca na história do mundo houve tais oportunidades para se alcançar a todos com o evangelho, sejam eles homens, crianças e mulheres. Em muitas regiões nunca houve melhor aceitação da mensagem por parte do povo. Os acontecimentos mundiais levam-no a crer que estamos na grande colheita dos dias finais anteriores a volta do Senhor. Deus está chamando todos os cristãos a se consagrarem dinâmica e totalmente à evangelização mundial.

Deus tem um lugar para você, uma obra especial a realizar nestes dias decisivos, antes da volta de Jesus. Queira Deus que este curso o ajude a encontrar esse lugar (se porventura não está nele) e a desincumbir-se bem da tarefa!

 

Autor: Pr. Elinaldo Renovato de Lima

BIBLIOGRAFIA

FERREIRA, Dam. Evangelismo total Rio, Juerp, 1990.

HESSELGRAVE, David J. Plantando igrejas. 5. Paulo, Vida Nova, s.d.

LINTHICUM, Roberto. A transformação da cidade. Belo Horizonte, Missão Editora, 1990.

Pesquisa através da Internet.

Pr. Adelcio Ferreira

Imprimir

Enviar comentário

voltar para Estudos Bíblicos

left show fwR|left tsN uppercase fwB|left show fwB fsN uppercase|bnull|||news login fwB tsN fwR tsY c05|c15 fsN normalcase fwB|b01 c05 bsd|login news c10|tsN normalcase fwR fsI c15 b01 bsd|signup b01 normalcase bsd c05|content-inner|left show fwR|news fl login fwB tsN fwR tsY c05