O JUGO DESIGUAL

O JUGO DESIGUAL

 

Primeiramente o que seria um Jugo – se procurar no dicionário verá que é uma canga com a qual se unem animais, para puxarem um arado ou um carro com a força dos dois, orientados pelo dono. A palavra de Deus no antigo testamento orienta o povo do Senhor desta forma. Com boi e com jumento não lavrarás juntamente (Deuteronômio 22:10). Vamos enxergar o jugo desigual primeiramente sem o aspecto religioso, mas no quesito animal/plantação, como está falando Deuteronômio: por que a Bíblia aconselha a não serem juntos em um mesmo jugo um jumento e um boi para que lavrem a terra? O jumento é um animal menor, mais leve e mais rápido; o boi por sua vez é maior, mais pesado e mais lento. Se os dois estiverem unidos no mesmo jugo não conseguiriam fazer o trabalho direito, pois um acabaria atrapalhando o outro.

Deus em sua Palavra desencoraja a estar em uma parceria desigual com os infiéis porque os crentes e descrentes são opostos, assim como a luz e as trevas são opostos. Na maioria das vezes Israel caia em transgressão por que aderia a este jugo, e tornava-se uma nação, povo ou até família que tinha em seu culto as culturas e costumes de povos pagãos. Não serviam ao Único Deus, prestavam um culto a Deus, e juntamente neste culto aderiam também a religiosidade de outros povos. Um dos grandes acontecimentos que identificam o jugo desigual como uma afronta e até maldição é o caso de um rei chamado Acabe se casar com uma mulher de outra crença, segundo a Bíblia Jezabel era uma sacerdotisa de Baal. Não demorou muito para que o rei Acabe se desviasse dos caminhos do Senhor.

E no novo testamento temos também tal advertência? Claro que sim. O apostolo Paulo escrevendo sua carta a Igreja de Coríntios, ele diz:  2 Coríntios 6:14: "Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas?"Ele desencorajou-os de estar em uma parceria desigual com os infiéis porque os crentes e descrentes são opostos, assim como a luz e as trevas são opostos. Eles simplesmente não têm nada em comum, assim como Cristo não tem nada em comum com o "Maligno", uma palavra hebraica que significa "inutilidade" (v. 15). Aqui Paulo a usa para se referir a Satanás. A ideia é que o mundo pagão, mau e descrente é regido pelos princípios de Satanás, e que os cristãos devem se separar desse mundo perverso, assim como Cristo era separado de todos os métodos, objetivos e planos de Satanás. Ele não teve nenhuma participação neles e nem formou nenhuma união com eles, assim deve ser com os seguidores de um em relação aos seguidores do outro. A tentativa de viver uma vida cristã com um não-cristão como um amigo, namorado, conselheiro e aliado próximo só nos fará andar em círculos. Muitos ainda não perceberam o caminho mau que estão trilhando. Tenho experiencia em aconselhamentos onde os conselhos com relação a esta união foram ignorados e houve grande sofrimento por parte das pessoas que eram cristãs, quando se uniram a pessoas não cristãs. As alegações são sempre as mesmas. Ele (a) vai vir para a igreja / Ele (a) foi batizad0 mais não está firme / Ela – Ele foi da igreja tal e por aí vai. Na realidade o coração está enredado com o erro. Somente após a dura experiencia poderão alguns aprender com a vida desigual que terão de enfrentar. Outros não terão mais remédio senão amargar uma luta por tantos anos, quanto viverem juntos, pois além de se unirem ao namoro se casam em um jugo desigual, e sofrerão as consequências pelo resto de sua existência na terra. Infelizmente o conselho de Deus é sempre rejeitado quando o coração está enredado com o pecado.Ora, não há nada mais enganoso e irremediável do que o coração humano, e sua doença é incurável. Quem é capaz de compreendê-lo? (Jr.17.9).

Muitas pessoas pagam um alto preço por causa desta advertência do Senhor ser ignorada.

Vigia crente, pois um jugo desigual irá desviá-lo dos caminhos do Senhor. Alguns conseguem retornar, outros não mais podem usufruir de uma comunhão com Deus após terem entrado em uma situação como esta.É claro que a aliança mais próxima que uma pessoa pode ter com outra é encontrada no casamento, e é assim que a passagem é geralmente interpretada. O plano de Deus é para que um homem e uma mulher se tornem "uma só carne" (Gênesis 2:24), uma relação íntima que só deve ser vivida no casamento. Por isso unir um crente com um incrédulo é, em sua essência, unir opostos, o que contribui para uma relação muito difícil.

Como é de meu costume aconselhar, deixo mais uma vez este conselho algumas questões abaixo para o crente poder pensar que não há harmonia em espécie alguma nesta união;

1= O crente que se une ao incrédulo para relacionamentos sejam ele quais forem, esta desobedecendo uma ordem de Deus;

 

2- Não haverá respeito quanto a santidade de vida do crente diante do incrédulo. Na maioria das vezes quando se diz respeito a relacionamentos amorosos o sexo está presente já no namoro / quando se trata de relações comerciais a farsa e a mentira está presente nos negócios, e assim em qualquer outra relação. Haverá sempre Luz e trevas.

 

3 – É pecado, pois esta contrário aos ensinamentos do Senhor, e e[m se tratando de um casamento, pode resultar em sérios problemas futuros.

 

4 – Este é o último: Quem não ouve conselho, ouve coitado (a).

 

O que está em foco aqui é uma união de propósitos que não combinarão nunca devido suas diferenças claras. A

As perguntas de Paulo expõem o contraste claro desse tipo de união de propósitos: que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo? Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos?  (2 Coríntios 6.14-16)

Veja também o porquê Deus não quer esse tipo de união na vida de Seus servos: Porque nós somos santuário do Deus vivente, como ele próprio disse: Habitarei e andarei entre eles; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. Por isso, retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor; não toqueis em coisas impuras; e eu vos receberei, serei vosso Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso. (2 Coríntios 6. 16-18)

 

Fica aí o conselho do Senhor nosso Deus.

Pr. Adélcio Ferreira

Imprimir

Enviar comentário

voltar para Palavra Pastoral

left show fwR|left tsN uppercase fwB|left show fwB fsN uppercase|bnull|||news login fwB tsN fwR tsY c05|normalcase fwR c15 fsI|b01 c05 bsd|login news c10|tsN normalcase fwR fsI c15 b01 bsd|signup b01 normalcase bsd c05|content-inner|left show fwR|news fl login fwB tsN fwR tsY c05