O ESCÂNDALO DA CRUZ NO OMBRO DE UMA ATIVISTA GAY

Publicado em 09/06/2015 às 10h30

 

Na segunda feira dia 08-06-2015 me deparei com vários crentes/e pessoas do bem  por toda rede de computadores protestando a respeito de uma cena que na verdade pelo menos comigo não foi algo de se espantar. Porém depois de mais algumas vezes ouvir e ver pela TV o comentário de alguns amados irmãos/lideres resolvi me manifestar com relação ao que penso sobre tudo isso que aconteceu numa parada Gay. A encenação da crucificação de Jesus em plena parada gay causou muito mal-estar em muita gente. Cristãos ou não. Uns consideraram blasfêmia, outros, apenas deboche, mas a maioria entendeu como uma afronta direta aos cristãos. 

Como já mencionei acima, não me senti nem um pouco ofendido ao ver uma ativista gay pregada numa cruz. Pelo contrário deveríamos ser tomados de compaixão. Afinal, Jesus não morreu somente por um grupo especifico. A cruz, foi para Jesus e seus discípulos a maneira de se identificar com os excluídos, os oprimidos, os marginalizados, e ao levar a Sua cruz, assumiu em Si todos os nossos pecados e mazelas, sejam de que natureza forem. Não há pecado/comportamento/ou desvio de conduta humano que não incumba na cruz. 

O que podemos entender naquela cena e o sofrimento de alguém ou de uma parte da sociedade que ainda não experimentou os benefícios da Cruz de Cristo. Penso eu (minha opinião como cristão) que deveríamos nos incomodar não é com a cena em si, mas aquilo que ela pretende denunciar. E por mais doloroso que seja e ainda que não queiramos admitir estamos distantes daquilo que Jesus ensinou. Nossos discursos inflamados, travestidos de piedade cristã, só fazem excitar ainda mais a intolerância. Por que diante de nossas palavras;  nossas  atitudes nos condenam. Se a intenção era a provocação, eles conseguiram. Encontraram muitos que não querem ir mais uma milha (Mt.5). Outros que não vão dar a outra face. Se tivéssemos o poder que João e Tiago desejavam ter ,com certeza faríamos descer fogo do céu e mataríamos a todos naquela parada do dia 08-06-2015.E depois de tudo um culto de celebração ao Senhor cairia muito bem. Provocaram o que já estava latente em nós, nosso ódio inconfessável ou nossa compaixão? Qual foi a reação da Igreja. Uma fúria santa. Não pegamos em armas por que não é nosso feitio aqui no Brasil. Na verdade, não nos enfurecemos em defesa da fé como muitos estão dizendo e revoltados andam após este episódio. Por que em questão de fé, a igreja brasileira teria que contestar os falsos mestres/as falsas doutrinas que muitas vezes entram em nosso meio e que muitos de nossos líderes praticam deliberadamente.

Sobre a cabeça do ativista crucificado uma placa que dizia "Basta de homofobia". Segundo um escritor pela internet próximo dali um grupo de cristãos conscientes exibiam uma faixa que dizia "Jesus cura a homofobia". Nem tudo está perdido. Ainda existe em meio a este arraial dos crentes uma faísca que poderá incendiar esta nação. Estamos as vezes obcecados para curá-los de sua conduta moral que esquecemos de amá-los como seres humanos. Como os fariseus levaram a mulher adultera diante de Jesus apontando seu erro, e escondendo os próprios erros que eles também cometiam, devemos saber que pecado diante de Deus, é a TRANSGRESSÃO DE SEUS MANDAMENTOS. A resposta de Jesus para os fariseus foi. Aquele que não tiver pecado atire a primeira pedra. Ou por sermos cristãos achamos que nosso pecado é bem melhor do que o pecado que aquela ativista foi induzida a praticar. Resumindo: O que creio é que a melhor defesa no evangelho não é um melhor ataque. Devemos praticar mais o evangelho. A Palavra de Deus deve ser conduta e não apenas sermões. Fica aí a pergunta que não quer calar. O que Jesus faria diante desta situação. Ficaria revoltado por terem ultrajado a Gloria de Deus. Estaria indignado com a posição de um grupo de cegos que resolveu insultar a luz mesmo sem conhecê-la. Claro que não. COMO UM CEGO PODE FALAR OU ZOMBAR DA LUZ, se nem ao menos ele a conhece. Pelo contrário sua revolta seria por não ver a LUZ, nem nunca conhecer o que é a LUZ. Só uma pergunta parar encerrar meu humilde pensamento. Eu estou distante das capitais. Estou no interior e fico meio sem informações. Será que os cristãos lembraram da Cruz na Marcha para Jesus. Ouve alguma mensagem da Cruz no evento. Talvez sim / talvez não. A cruz segue sendo um escândalo. Talvez por isso já não é pregada. Ela expõe as entranhas de nossa arrogância, de nossa crendice, de nossa ostentação, enquanto manifesta a Glória de Deus e Sua ruidosa/maravilhosa Graça. Uma Graça que muitos de nós não ainda compreendemos.

João 8.32 - E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

Pr. Adelcio Ferreira

Enviar comentário

voltar para Palavra Pastoral

left show fwR|left tsN uppercase fwB|left show fwB fsN uppercase|bnull|||news login fwB tsN fwR tsY c05|c15 fsN normalcase fwB|b01 c05 bsd|login news c10|tsN normalcase fwR fsI c15 b01 bsd|signup b01 normalcase bsd c05|content-inner|left show fwR|news fl login fwB tsN fwR tsY c05