A quarta-feira de cinzas

Publicado em 13/02/2018 às 18h37

O carnaval termina na quarta de cinzas. As cinzas utilizadas pelos religiosos após o carnaval, são para eles, um sinal de arrependimento, de contrição, e penitências. Alguns chegam até dizer que ela, a cinza, purifica pecados cometidos durante a festa da carne (carnaval).

Porém, pecados, segundo a Bíblia, só podem ser expiados/purificados diante de Deus, pelo/através do sangue de Jesus. Arrependimento genuíno, só pode ser gerado através da Palavra, pela operação do Espirito Santo segundo nos ensina a doutrina apostólica.

Desde criança acompanho estes acontecimentos/rituais e/ou tradições posteriores à festa da carne(carnaval). Porém, no próximo ano, e no próximo e assim por diante, tudo se repete. O motivo de repeti-los é único. Por que só poderemos nos livrar do engano do mundo, quando formos libertos do pecado. E isso só é possível mediante o nascermos de novo. Tiago diz na sua carta, no capitulo 4, versículo 4, que aquele que é amigo do mundo, se faz inimigo de Deus.

O Apóstolo João diz em sua carta: “Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado”. ( I João 1:7)

Porque também nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros. Mas quando apareceu a benignidade e amor de Deus, nosso Salvador, para com os homens, Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, Que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador; Tito 3:3-6

Olhando em alguns sites que professam a fé e também as obras como doutrinas de suas crenças, vemos que há uma grande falta de compreensão ou unicidade de fé entre igrejas católicas e igrejas evangélicas.

Seus ensinos também são bastante centralizados em sua própria teologia, não em uma teologia Bíblica e saudável.

Muitos se utilizam da Bíblia para embasar suas práticas e rituais religiosos. Podemos notar algumas explicações e até encontrei uma interessante, porém fora de contextualização com as escrituras. Claro que a escrituras foram forçadas para interpretar o que este professor católico ensina em sua tese sobre a quarta-feira de cinzas.

Veja você mesmo e tire suas conclusões. Porém utilize-se da bíblia caso queira se defender.

1. Uma comparação um tanto quanto sem contexto

Em um site católico da canção nova (https://formacao.cancaonova.com/liturgia/tempo-liturgico/quaresma/qual-o-sentido-da-quarta-feira-de-cinzas/) o escritor diz que este dia; a quarta-feira de cinzas foi instituído a muito tempo na igreja: ele se esquece de dizer: igreja católica, por que pelo menos nos cristãos batista de confissão bíblica não temos , e não vemos isso instituído na bíblia, Palavra de Deus.. Cita este autor /escritor do site católico, que é um tempo de penitencia ainda mais acirrado, e que os judeus também praticavam o ato de assentar-se em cinzas sobre iniciativa de arrependimento e volta para Deus.

Uma citação um tanto, quanto fora de contexto, e de nenhum valor aos cristãos atuais. Pois os Judeus são na Bíblia designados filhos de Deus, porém rebeldes a Deus. São propriamente chamados na Bíblia de casa rebelde. São os filhos da desobediência. Veja o que o apóstolo Paulo diz acerca de imitarmos o que foi transitório. ¨Mas Deus não se agradou da maior parte deles, por isso foram prostrados no deserto. E estas coisas foram-nos feitas em figura, para que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram.
Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles, conforme está escrito: O povo assentou-se a comer e a beber, e levantou-se para folgar. E não nos forniquemos, como alguns deles fizeram; e caíram num dia vinte e três mil. E não tentemos a Cristo, como alguns deles também tentaram, e pereceram pelas serpentes.
E não murmureis, como também alguns deles murmuraram, e pereceram pelo destruidor. Ora, tudo isto lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos. 
1Coríntios 10:5-11¨.

Então devemos nos perguntar: Se algo que não foi útil à eles, deverá ser utilizado em nosso meio, ou devemos aprender com os erros deles como o apóstolo Paulo nos ensina na carta aos cristãos da igreja de Corintos. Vejamos: Ora, tudo isto lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso... (algumas traduções diz: para nossa advertência) 1Coríntios 10:11. Entender que os rituais do Antigo testamento devem ser imitados hoje seria ´permanecer na velha aliança. Seria pelo menos, querer se salvar pelos próprios méritos. Seria pensar que temos domínio sobre o pecado. Pois analisar nossas liturgias a luz do velho testamento, no mínimo é tentar viver pela antiga aliança. Dando nisto a entender o Espírito Santo que ainda o caminho do santuário não estava descoberto enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo, (antiga aliança) Hebreus 9:8.

2- Qual é o sentido? Sentido este, da quarta-feira de cinzas, segundo o catolicismo.

A intenção desse sacramental é levar-nos ao arrependimento dos pecados, marcando o início da Quaresma, é fazer-nos lembrar de que não podemos nos apegar a esta vida, achando que a felicidade plena possa ser construída aqui. É uma ilusão perigosa. A morada definitiva é o céu. A maioria das pessoas, mesmo os cristãos, passa a vida lutando para “construir o Céu na Terra”.

Um sacramentalíssimo sem nenhum valor diante das coisas que são eternas diz o escritor aos hebreus. Então disse: Eis aqui venho (No princípio do livro está escrito de mim), Para fazer, ó Deus, a tua vontade. Como acima diz: Sacrifício e oferta, e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem te agradaram (os quais se oferecem segundo a lei). Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro, para estabelecer o segundo. Hebreus 10:7-9

A carta aos Hebreus mostra a realidade das obras humanas em sentido religioso para agradar a Deus. O escritor aos hebreus diz que nada mais é do que coisas vãs, sem nenhum valor para com a santificação. Por outro lado podemos ver que anualmente se repete como a própria Bíblia diz em Hebreus. Veja: Nesses sacrifícios, porém, cada ano se faz comemoração dos pecados, Hebreus 10:3. A Bíblia diz que não é feita uma purificação, porém comemoração de pecados. É sério o assunto. A incompreensão escraviza estas pessoas aos seus próprios erros. A Bíblia também ensina que a santificação não deve ser ascética (um comportamento estranho-separado-isolado), porem se dá neste mundo. Quem opera a santificação é o Espirito Santo, através da Palavra de Deus. O próprio Senhor Jesus na sua oração sacerdotal diz:  Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade. João 17:15-17

E como o próprio escritor católico diz no seu texto (é fazer-nos lembrar de que não podemos nos apegar a esta vida). Porém, estão tão ligados nela, tão ligados que desejam vivê-la, e para isso, pagar um preço por/para vivê-la, fazer penitencias após vivê-la na pratica, é pensar em aplacar a ira de Deus, ou o zelo de Deus, fazendo seus rituais de purificação, para que no próximo ano cometam os mesmos pecados novamente. Arrependimento, sem conversão, é apenas remorso. Arrepender-se significa dar meia volta, andar em sentido contrário ao erro cometido.

Acredito que o desapego desta vida, seria abandonar os erros cotidianos, e uma vida em arrependimento diário, não apenas quarenta dias, logo após uma festa onde se satisfaz o prazer da carne (carnaval). Jesus nos ensinou como é o desapego a esta vida, ele nos disse pelos seus apóstolos, no evangelho segundo escreveu Marcos: mas quem perder a sua vida por minha causa e pelo Evangelho salva-la-á! .Marcos 8.35

3. A expectativa do céu, esse é o sentido das cinzas.

Aqui, neste site cita-se a expectativa do céu como sendo o sentido das cinzas. Acredito que lendo não consigo entender o que o autor que dizer com isso. As cinzas sendo nossa (situação de quem espera a ocorrência de algo, ou sua probabilidade de ocorrência em determinado momento), pois este é o significado no dicionário Aurélio para expectativa. É bem diferente com relação aos versículos citados para expressar esta ideia. Vejamos o que foi citado como Bíblia, na explicação do teólogo/professor católico. (São Paulo lembrou aos filipenses: “Nós somos cidadãos do Céu! É de lá que também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo. Ele transformará nosso corpo miserável, para que seja conforme o seu corpo glorioso, em virtude do poder que tem de submeter a si toda a criatura” Fl 3, 20-21).

No capítulo 3 da carta de Paulo aos filipenses, o apóstolo Paulo está falando de algo muito acima das cinzas, da lei, de sua linhagem, ou o ser, e o não ser hebreu. Ele diz isso, caso fosse interpretar tais conceitos ou valores fora/alienados à Cruz de Cristo. Do sacrifício no calvário, muito mais ele ainda, poderia se gloriar. Claro, se isso fosse contar como significativo para honrar, levar ou apresentar o ser humano à Deus. Paulo aqui considera todo ritual, seja Judaico, seja cultural, seja religioso como nada diante daquilo que é ser de Cristo, e mediante a Cruz de Cristo.

Os cristãos precisam lembrar-se de que, embora estejam neste mundo, não são dele; sua cidade (Pátria) está nos céus. Com o uso do verbo esperamos, Paulo estabelece um contraste direto com o foco terreno dos inimigos da cruz no versículo 19. O desejo ardente dos cristãos não são as coisas terrenas, concordo. Porém discordo de serem as cinzas, nossa identificação de que esperamos um lugar melhor. Aqui nestes versículos o apostolo Paulo diz plenamente e nitidamente que é o Senhor Jesus, a Pessoa celestial, o Salvador, o Senhor Jesus Cristo a nossa única esperança e/ou expectativa.

Paulo assegura que Jesus transformará o cristão, ou mudará sua aparência. O que Deus transformará é o corpo físico, o corpo abatido. No versículo 10 deste mesmo capitulo, os cristãos se conformam (tomam forma) à morte de Jesus; neste versículo, eles se conformam (tomam forma) à Sua vida, ao seu corpo glorioso, não a imagem de cinzas. Nosso corpo agora é fraco e suscetível ao pecado, à doença e à morte. Mas Deus o transformará para que seja semelhante ao glorioso corpo de Cristo na ressurreição. Toda expectativa aqui nestes versículos citados da carta de Paulo aos filipenses no capitulo 3 pela bíblia, não é com sentido (significado) às cinzas, porém à Cristo em nós a esperança da Gloria.

Aqui já encerrando concluo que as definições e o ascetismo religioso, tira do centro o sacrifício de Cristo. Aos colossenses Paulo escreve o seguinte: Ninguém vos domine a seu bel-prazer com pretexto de humildade e culto dos anjos, envolvendo-se em coisas que não viu; estando debalde inchado na sua carnal compreensão, E não ligado à cabeça, da qual todo o corpo, provido e organizado pelas juntas e ligaduras, vai crescendo em aumento de Deus. Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: Não toques, não proves, não manuseies? As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens; As quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne. Colossenses 2:18-23.

Acredito que fica desnecessário fazer alguma explicação aqui, pois o texto por si mesmo se explica.

Para nós cristãos apesar de; algumas igrejas cristãs, Ortodoxas, gospel etc, praticarem o ato, não quer dizer que devemos fazer. Jesus não fez, os apóstolos de Jesus não fizeram. Esta pratica entrou na igreja romana a partir do século 4.Quanto a nós cristãos protestantes não vejo necessidade de passar cinzas na testa, uma vez que somo lavados pelo sangue de Cristo jesus o Nosso senhor. Então fique em paz. Descanse no senhor e tudo o mais Ele fara.

Assista também este vídeo abaixo explicando em poucas palavras acerca da quarta-feira de cinzas

Quarta-feira de cinzas. O que significa?

 

 

Deus abençoe os irmãos.

Pr. Adélcio Ferreira

Imprimir

Enviar comentário

voltar para Palavra Pastoral

left show fwR|left tsN uppercase fwB|left show fwB fsN uppercase|bnull|||news login fwB tsN fwR tsY c05|c15 fsN normalcase fwB|b01 c05 bsd|login news c10|tsN normalcase fwR fsI c15 b01 bsd|signup b01 normalcase bsd c05|content-inner|left show fwR|news fl login fwB tsN fwR tsY c05